Buscar
  • CARAVANA DE LUZ EDITORA

Qual a visão do espiritismo sobre a adoção?

Por Angelina Freitas


“O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei”.

Jesus – João 15, 12


“Santuário dos pais, escola dos filhos, oficina de experiências, o lar é a mola mestra que aciona a humanidade”. [1] – Espírito Benedita Fernandes



O Dia Nacional da Adoção é celebrado em 25 de maio, tendo sido implantado no Brasil por uma lei decretada em 2002. A comemoração nos convida à conscientização e reflexão sobre a importância deste ato de profundo amor. Jesus exemplificou, cotidianamente, este sentimento sublime, ampliando sua vivência para além dos círculos da parentela física ou de raça, restrição comum no tempo em que esteve na Terra. O Mestre apresentou-nos Deus como o Pai de todos, fazendo, de cada um de nós, irmãos em humanidade.


E a Doutrina Espírita, descortinando o elemento espiritual, diferencia o parentesco corporal do parentesco espiritual, afirmando que “os laços de sangue não estabelecem, necessariamente, os laços entre os Espíritos. O corpo procede do corpo, mas o Espírito não procede do Espírito, porque o Espírito existia antes da formação do corpo; não foi o Espírito do pai que criou o Espírito do filho, ele não fez senão fornecer-lhe um envoltório corporal, mas deve ajudar o seu desenvolvimento intelectual e moral, para fazê-lo progredir" [2]. Fundamental, portanto, reflexionemos acerca da paternidade dos filhos próprios ou alheios, enquanto MISSÃO SUBLIME da qual prestaremos contas à própria consciência, conforme nos alertam os benfeitores na questão 582 de O LIVRO DOS ESPÍRITOS (peça em nossa livraria). “A quem muito foi dado, muito será exigido; e a quem muito foi confiado, muito mais será pedido”, nos alerta o Mestre Jesus no Evangelho de Lucas, capítulo 12, versículo 48.


E cientes, com os esclarecimentos do Espiritismo, de que o acaso não preside nossos relacionamentos interpessoais, aqueles que aportam nosso lar como filhos são sempre Espíritos destinados ao progresso espiritual na estrada da evolução. Por meio da educação moral, desenvolvida na convivência com os demais componentes do lar, seja a família formada por laços consanguíneos ou adotivos, percebemos, nestes relacionamentos, reencontros de afetos e desafetos para aprendizado, experiência e evolução de todos.


Comoa melhor escola ainda é o lar, onde a criatura deve receber as bases do sentimento e do caráter[3], é dever dos genitores e responsáveis apresentar aos pequenos, os conceitos basilares do Evangelho de Jesus e da Doutrina Espírita, por meio dos exemplos cotidianos da vivência cristã e da prática semanal do CULTO DO EVANGELHO NO LAR. E, como roteiro seguro para essa realização, é fundamental adquirirmos o livro EVANGELIZAR À LUZ DO ESPIRITISMO [4], que tem por finalidade facilitar a tarefa daqueles que evangelizam o público infantojuvenil, oferecendo uma perspectiva fiel aos princípios evangélico-doutrinários. Nesta obra, encontramos roteiro seguro na orientação destes Espíritos em recomeço de trajetória ascensional.



Imprescindível, também, a participação das crianças e jovens na EVANGELIZAÇÃO INFANTOJUVENIL e MOCIDADE [5]. Quanto a essa atividade, esclarece-nos o Espírito Vianna de Carvalho: “À Evangelização Espírita Infantojuvenil cabe a indeclinável tarefa educacional de preparar os futuros cidadãos desde cedo, habilitando-os com as sublimes ferramentas do conhecimento e do amor para o desempenho dos compromissos que lhes cumprirá atender, edificando a nova sociedade do amanhã [6].


Comemoremos a data, valorizando o investimento amoroso da adoção, ato sublime dos que se empenham na educação moral de Espíritos que se ligam, principalmente, por laços espirituais. Vivenciar o amor incondicional no lar junto aos filhos da carne ou do coração é aproximar-se do Pai Maior, colaborando na formação da grande família universal.


Sigamos a recomendação do Espírito José: “Sê tu, igualmente, alguém que auxilia e fortifica aqueles que caminham contigo nas veredas do aperfeiçoamento, entre lutas e vitórias, quedas e restabelecimentos. Todos somos filhos do mesmo Pai, inscritos na mesma escola da caridade e, portanto, herdeiros das benesses que Jesus nos ensinou” [7].



[1] FRANCO, Divaldo P. Cap. Criança e família. In: Terapêutica de Emergência (peça em nossa livraria). Por Espíritos Diversos.

[2] KARDEC, Allan. Cap. XIV – Honrai a vosso pai e a vossa mãe, item 8. In: O Evangelho segundo o Espiritismo (peça em nossa livraria).

[3] XAVIER, Francisco Cândido. Questão 110 - Qual a melhor escola de preparação das almas reencarnadas, na Terra? In: O Consolador (peça em nossa livraria). Pelo Espírito Emmanuel.

[4] CARVALHO, Maria Fátima Ferreira de. In: Evangelizar à Luz do Espiritismo - Orientação e Programas de Aulas Infantojuvenis. Publicação da Caravana de Luz Editora.

[5] Acesse o site da Fraternidade Espírita Caravana de Luz, www.caravanadeluz.org.br, para se inteirar das programações (reuniões e artigos) para as diversas faixas etárias.

[6] Sublime sementeira: Evangelização Espírita Infantojuvenil. Parte I - Entrevista com Vianna de Carvalho (Espírito) - 2007

[7] RODRIGUES JR., Adail Sebastião. Capítulo: Herdeiros da luz. In: Receitas de Amor e Paz. Por Espíritos Diversos.




#CaravanaDeLuzEditora; #DiaNacionaldaAdoção; #adoção; #visãoespíritasobreadoção; #visãoespírita; #espiritismo; #DoutrinaEspírita;