Buscar
  • CARAVANA DE LUZ EDITORA

Visita fraterna

Por Alexsandra Moreira de Castro


“Sede, pois, caridosos, praticando, não só a caridade que vos faz dar friamente o

óbolo que tirais do bolso ao que vo-lo ousa pedir, mas a que vos leve ao encontro das

misérias ocultas. (...) Sede brandos e benevolentes (...) e tereis obedecido à lei de Deus.”

São Vicente de Paulo – O Livro dos Espíritos, questão 888a



Você sabia que Jesus, quando esteve conosco há mais de 2000 anos, inaugurou a prática sublime de visitas ao coração humano? Nesses encontros fraternos, o Mestre Amado levou bom ânimo, conforto e amor às almas sedentas de afeto, de paz e de cura [1]. Vamos recordar alguns desses momentos:


  • Visita à casa de Pedro. Está registrada por Mateus, no capítulo 8, versículos 14 e 15. A sogra de Pedro estava com febre, acamada. Jesus a tocou, a febre passou, ela se levantou e foi servi-los. Aqui podemos nos perguntar o que a febre representa e, para as nossas reflexões, vamos ficar com a ideia de que simboliza a indisposição para o trabalho. Quando o Príncipe da Paz visita a nossa intimidade, e permitimos ser por Ele tocados e tocadas, nossas energias são renovadas e lembramos que trabalho é toda ocupação útil [2];


  • Visita à mulher hemorrágica. É Mateus quem nos diz desse encontro, no capítulo 9, versículos 19 a 22. O Evangelista narra que uma mulher sangrava há 12 anos e, chegando por trás de Jesus, tocou-Lhe a veste e o fluxo estancou. Em um primeiro momento, podemos pensar que não se trata de uma visita, afinal a mulher achegou-se por trás, em um momento que o Mestre estava acompanhado de seus discípulos. Entretanto, essa mulher é um símbolo de quem não perde a oportunidade do encontro com a Luz do Mundo. Tocado por ela, Jesus disse: Tem ânimo, filha, a tua fé te salvou (versículo 22). Muitas vezes acreditamos que o encontro com o Cristo ocorrerá quando alcançarmos todo o entendimento acerca dos mecanismos que regem o Universo. Mas a mulher hemorrágica mostra, para cada um de nós, que esse encontro (essa visita divina) pode ocorrer quando menos esperamos: no sorriso de uma criança desconhecida que nos dirige o olhar cheio de alegria, no abraço inesperado do nosso pai, na gratidão de uma irmã quando a socorremos, na página esclarecedora de um livro edificante;


  • Visita à Maria e Marta. Este encontro está grafado em Lucas, no capítulo 10, versículos 38 a 42. Maria, Marta e Lázaro, irmãos e amigos de Jesus. Nesse dia, Maria estava assentada aos pés de Jesus, ouvindo os Seus ensinamentos. Marta estava distraída, envolvida com os afazeres domésticos. Em um dado momento, Marta pergunta: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude (versículo 40). Ao que o Pão da Vida responde: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; e Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada (versículos 41 e 42). Percebem? Essas mulheres simbolizam duas condutas que podemos ter diante de Jesus, que está em nossas casas: podemos ouvi-Lo (e, assim como Maria, reservar um tempo para o divino) ou podemos continuar distraídos com as coisas mundanas (Marta estava envolvida com a casa, na intenção de bem servir Jesus. Aqui, precisamos nos recordar: é muito importante arrumarmos a casa para receber Jesus, mas, de que adianta arrumar camas, armários, cozinha e banheiro se a nossa casa mental permanece suja? [3];


  • Visita à casa de Zaqueu. É Lucas quem nos conta (19,1-10). Jesus estava em Jericó e Zaqueu queria vê-Lo, mas não conseguia porque era baixo e a multidão o impedia. Então Zaqueu subiu em uma árvore e o Filho do Carpinteiro a ele se dirigiu pelo nome, seguido de um convite: Zaqueu, desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa (Lucas 19,5). Impressionante! Jesus conhece a todos nós pelo nome, sabe de nossa intimidade e aquilo que desejamos. Foi uma visita cheia de imenso amor. Zaqueu se elevou para estar com Jesus e, por elevar-se, queremos dizer que foi muito mais do que subir em uma árvore para poder ver o Nazareno, ele se elevou intimamente, internamente, vez que estava pronto para o encontro que mudaria a sua vida.


E se Jesus disse que tudo o que Ele fez nós poderíamos fazer e muito mais [4], a prática sublime de visitas ao coração humano é um exercício que todos nós somos capazes de desempenhar. Em outras palavras: “Nas grandes calamidades, a caridade se emociona e observam-se impulsos generosos, no sentido de reparar os desastres. No entanto, a par desses desastres gerais, há milhares de desastres particulares, que passam despercebidos: os dos que jazem sobre um grabato sem se queixarem. Esses infortúnios discretos e ocultos são os que a verdadeira generosidade sabe descobrir, sem esperar que peçam assistência[5].


Que possamos aprender a verdadeira generosidade, estendendo os braços da Caridade àqueles e àquelas que necessitam de amparo, de ânimo, de uma palavra amiga, de fraternidade, de acolhimento, de ser ouvido, de conforto, de comida material e espiritual.


Queremos dizer, ainda, que com a Fraternidade Espírita Caravana de Luz (FECL) não é diferente, ou seja, a nossa Instituição também procura aprender e exercitar a verdadeira generosidade e, dentre as muitas tarefas que abraça, oferece a Visita Fraterna. Esse trabalho leva assistência cristã-espírita a asilos e creches, há muitos anos, todo terceiro domingo do mês. Encontramo-nos na sede da FECL e, após a prece inicial, a equipe se divide em duas, de tal forma que o Asilo [6] e a Creche [7] são visitados todos os meses. Vale dizer que, nesses tempos pandêmicos, a Visita Fraterna foi mantida virtualmente (após um período de suspensão), apenas na Creche (o Asilo não possui estrutura para nos receber). Esses encontros, cheios de amor e de gratidão, têm ocorrido pelo Google Meet.


Por fim, a Caravana de Luz Editora convida a todos e a todas a visitarem alguém hoje, presencialmente (com os necessários cuidados sanitários) ou virtualmente, enchendo o próprio coração e o coração de quem for visitado de genuína alegria fraternal.



[1] Talvez seja por isso que, até hoje, nós ansiamos por uma visita do Cordeiro, sendo muito comum, na época do Natal, arrumarmos a nossa casa para recebê-Lo, enchendo-a com as nossas melhores vibrações de amor.

[2] KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos (peça em nossa livraria). Parte Terceira. Capítulo 3, item Necessidade do trabalho, questão 675.

[3] Mateus 12,43-45.

[4] João 14,12.

[5] KARDEC, Allan. Cap. XIII – Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita, item 4: Os infortúnios ocultos. In: O Evangelho segundo o Espiritismo (peça em nossa livraria).

[6] Lar Frei Zacarias, localizado na rua Sabinópolis, 138, Carlos Prates, aqui em Belo Horizonte, acolhe idosas que buscam auxílio. Visite https://www.facebook.com/larfreizacarias/.

[7] Lar na luz – Creche Bom Pastor abriga pessoas com deficiências variadas. Localizada em Ibirité/MG. Conheça http://www.crechebompastor.org.br/.




#CaravanaDeLuzEditora; #VisitaFraterna; #assistênciacristãespírita; #FECL; #visitasaocoraçãohumano; #visitasdeJesus; #VisitaàcasadePedro; #Visitaàmulherhemorrágica; #VisitaàMariaeMarta; #VisitaàcasadeZaqueu; #ensinamentosdeJesus; #evangelhodeJesus; #braçosdacaridade; #caridade; #generosidade; #fraternidade; #palavraamiga; #acolhimento;