Buscar
  • CARAVANA DE LUZ EDITORA

Allan Kardec

Por Liana Ishitani

"E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre." Jesus (João 14:16)



Caríssimos: "Perseverar no amor é entregar-se às bênçãos do trabalho fulgurante da caridade com todos, em todas as circunstâncias. (...) O Espiritismo revive a Boa Nova, reconduzindo-nos ao tempo do Cristo e seus discípulos, quando das suas obras de amor e luz, em meio à multidão sequiosa de orientação e consolo, bênção e paz. (...) Não vos afadigueis com as intempéries do caminho - sede perseverantes, determinados, resolutos e corajosos, usando de brandura e misericórdia, bom senso e entendimento, suportando-vos uns aos outros na paz." José, capítulo: “Mensagem aos espíritas”, da obra Receitas de Luz e Renovação, psicografia de Adail Sebastião Rodrigues Jr.


Em 3 de outubro de 1804, nasceu em Lyon, na França, Hippolyte Léon Denizard Rivail, filho de Jean Baptiste Antoine Rivail e de Jeanne Duhamel. Hippolyte recebeu, desde o berço, toda uma tradição de virtudes, honra e probidade e, desde a sua juventude, sentiu-se atraído para as ciências e para a filosofia. Fez seus primeiros estudos na própria Lyon e completou sua instrução em Yverdon, na Suíça, com o famoso mestre Pestallozzi, do qual se fez um dos mais sábios alunos e colaborador dedicado. Foi educador, pedagogo, linguista e poliglota (conhecia e falava alemão, inglês, italiano e castelhano, podia se exprimir facilmente em holandês e possuía sólidos conhecimentos de latim, grego e gaulês). Conheceu Amélie Boudet, professora, com quem se casou em 1832. Não tiveram filhos. Chamava seus alunos de "meus amigos" e é longa a lista das obras didáticas que escreveu.


Mas sua maior missão era outra: em 1854, ouviu pela primeira vez falar nas mesas girantes pelo Sr. Fortier, que lhe disse que as mesas não só giravam, mas respondiam. Mais tarde, os Srs. Carlotti, René Tiedeman-Manthèse, Sardou e Didier (que haviam compilado 50 cadernos de diferentes comunicações) mandaram a Rivail todo o material, solicitando-lhe que deles tomasse conhecimento e os ordenasse. A este árduo trabalho Rivail se dedicou: ele fez anotações, eliminou repetições, ordenou o conhecimento; preparou perguntas e as fez metodicamente, várias vezes, a muitos Espíritos, utilizando-se de mais de 10 médiuns; trabalhou incansavelmente com os Espíritos Superiores. "Morria" Rivail e nascia "Allan Kardec".


Foi Kardec - que, neste ano, completaria 213 anos - quem codificou a Doutrina Espírita, lançando o Pentateuco, composto pelas seguintes obras: (peça todas as obras básicas da codificação kardequiana "AQUI").


- O Livro dos Espíritos (18/04/1857): contém os princípios da Doutrina Espírita, expostos de forma lógica, por meio de diálogos com os Espíritos, às vezes comentados por Kardec, constituindo um tratado de filosofia;


- O Livro dos Médiuns (Jan/1861): contém o ensino especial dos Espíritos sobre a teoria de todos os gêneros de manifestações, os meios de comunicação com o Mundo Invisível, o desenvolvimento da mediunidade, as dificuldades e os escolhos (perigos) que se podem encontrar na prática da mediunidade;


- O Evangelho segundo o Espiritismo (Abr/1864): apresenta a explicação das máximas morais do Cristo em concordância com o Espiritismo e suas aplicações às diversas circunstâncias da vida;


- O Céu e o Inferno (Ago/1865): apresenta a Justiça Divina segundo o Espiritismo, mostrando alguns aspectos da vida espiritual. Em tal obra, demonstra-se o absurdo da doutrina das penas eternas e caracterizam-se o céu e o inferno, não como lugares de gozos perenes e improdutivos ou de sofrimentos atrozes, mas, racionalmente, como estados de consciência, que o Espírito cria pelo exercício de seu livre-arbítrio e nos quais vive por consequência da Lei de Causa e Efeito, decorrendo daí sua felicidade ou infelicidade;


- A Gênese (Jan/1868): complementa o aspecto científico da Doutrina, pormenorizando os atributos de Deus e discutindo os aspectos da origem do bem e do mal, bem como os problemas de cosmogênese (criação universal, revoluções do globo etc.), a gênese espiritual e a gênese mosaica à luz da ciência. Também faz uma apreciação dos milagres do Evangelho e das predições e teoria da presciência.


Mas Kardec não é somente o Codificador da Doutrina Espírita. Sua vida foi exemplo da alertiva constante no item 5, capítulo VI, de O Evangelho segundo o Espiritismo (peça em nossa livraria): Espíritas! amai-vos, este o primeiro ensinamento; instruí-vos, este o segundo.


Convidamos o leitor amigo e a leitora amiga a se enamorarem do capítulo Mensagem aos espíritas, escrito por José, que integra a obra Receitas de Luz e Renovação, psicografia de Adail Sebastião Rodrigues Jr., e, assim como Kardec, procurarem ser aqueles que conquistam corações, espalhando luz onde quer que estejam.


QUER SABER MAIS?


Visite as páginas da:

1) Fraternidade Espírita Caravana de Luz (FECL): acesse www.caravanadeluz.org.br;

2) Federação Espírita Brasileira (FEB): acesse o texto sobre Allan Kardec - http://bit.ly/2dmab0g.




#OConsoladorPrometido; #ABoaNova; #OCodificadorDaDoutrinaEspirita; #AllanKardec; #Kardec; #MissaoDeAllanKardec; #CodificacaoKardequiana; #ObrasBasicasDoEspiritismo; #OLivroDosEspiritos; #OEvangelhoSegundoOEspiritismo #OLivroDosMediuns; #OCeuEOInferno; #AGenese; #espiritismo; #DoutrinaEspirita; #ReceitasDeLuzERenovacao; #CaravanaDeLuzEditora; #FECL; #FraternidadeEspiritaCaravanaDeLuz;

COPYRIGHT 2015. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS A CARAVANA DE LUZ EDITORA. 

 

Créditos do Site: Luciana De Carvalho